quinta-feira, 27 de Novembro de 2008

Só para ver!


Há vezes em que necessitamos REALMENTE de visualizarmos as coisas para as entender.

Aqui vai um link: So many a second

quarta-feira, 5 de Novembro de 2008

Os EUA, as estatísticas e a infografia

A propósito das eleições dos EUA entre Obama e McCain muitos gráficos com estatísticas apareceram pela web. No PÚBLICO resolvemos aproveitar a ocasião para inaugurar uma nova fase nas nossas infografias online. Pela primeira vez criámos infografias que, recorrendo a bases de dados, permitem a visualização da informação de forma dinâmica. Isto é, através de uma página web, inserem-se os dados que serão guardados numa base de dados, numa tabela de correspondências previamente estabelecida. No exemplo do gráfico "se Portugal tivesse votado", foi permitido ao leitor votar num dos dois candidatos a presidente dos EUA e, sempre que alguém clica no botão Votar, a informação pedida nessa página web (candidato, distrito, idade e sexo) fica registada numa base de dados. Depois, e sempre que se vai à página de resultados, o ficheiro em Flash (mapa) interpreta um ficheiro XML que fornece a informação organizada, contida na base de dados. Dependendo dos dados, o mapa aparece com as cores do candidato vencedor nesse distrito e outra informação segmentada como: a tendência de voto por intervalo de idade, ou ainda se há mais mulheres a votarem Obama em Santarém, etc. E tudo em tempo real sem necessidade de alguém estar a pintar os distritos ou a alterar barras e números. Uma das referências nesta área, que no meio jornalístico até tem um nome - data base journalism é o nytimes.com, mais uma vez. Mas a caixa abriu-se e vêm aí mais eleições. E nós agora, temos tempo.

LINKS:
- Página para votar (já só acessível através deste link)

terça-feira, 4 de Novembro de 2008

Infografia para a rua!

Sempre que vejo um destes ícones na estrada sinto-me um pixel no Google Maps.

Na zona de Setúbal, existem espalhados à beira das estradas, estes ícones que querem chamar a atenção para locais onde existiram mais acidentes durante o ano de 2007, numa campanha de segurança rodoviária "mortos na estrada - vamos travar este drama". Bem precisamos.