sábado, 29 de Setembro de 2007

03 Madrid - 1ª apresentação

A manhã começou com David Gray, fundador e CEO da XPLANE. Fiquei cheio de vontade em criar uma Think Visual School em Lisboa, uma vez por mês. Ver como.
Seguiu-se Víctor Sanvicente, responsável das aplicações interactivas do marca.com e as APIs do Google Maps, do Flickr e outras ferramentas disponíveis da web 2.0, para disponibilizar conteúdo geo-referenciado. De forma fácil, rápida e eficiente.
A seguir, fomos trabalhar.
Almoço.
Voltámos ao trabalho.
Por volta das 18h00 passámos os ficheiros para a rede e fomos para o auditório fazer as apresentações em grupos.
O grupo onde estava inserido foi o primeiro. O gráfico estará aqui.
Fomos ambiciosos e queríamos apresentar a relação do carro na pista, representado por um ponto vermelho e, um gráfico com as diferenças de velocidade. Tudo isto de uma forma dinâmica que precisava de muita programação. Claro que se fosse numa situação real nós não tínhamos conseguido publicá-lo em tempo útil. Muito ficou por fazer, o sistema de navegação, por exemplo. Contudo, aprendemos e se tivéssemos tido tempo, teríamos conseguido um gráfico interessante, com dados relacionados controlados pelo utilizador.
A discussão foi animada e fiquei com muita vontade de que para a próxima conseguíssemos ter uma infografia finalizada. Aceitar o factor tempo como parte do desafio. Logo aí começa-se a pensar de forma mais focada, explicar apenas um pormenor sobre um dado assunto. Ser simples mas efectivo.
Vou pedir aos meus colegas de curso se cedem os gráficos que fizeram para os poder disponibilizar aqui.

terça-feira, 25 de Setembro de 2007

02 Madrid - 2º dia, mãos à obra

O dia arrancou com Pablo M. Ramirez com conselhos básicos de comunicação visual. Entre outras coisas, legibilidade e eficácia. Fechou com o TED X de Nigel Holmes.
Seguiu-se Fran Gálvez, director interactivo do Medialabs, que apresentou exemplos de campanhas publicitárias e casos de estudo dos novos paradigmas da publicidade interactiva e multi-meios. Pergunta-se: o que faz um publicitário no meio de um curso de jornalismo visual, ou de infografia multimédia? Responde-se: É sempre importante conhecer outras paragens e a publicidade é uma área criativa e bastante experimental. Não é despropositado. Fiquei curioso com o jogo que vão lançar agora, quase todo passado em Second Life.
Nova visita à secção de infografia do El Mundo. Desta vez havia gente a trabalhar, tanto no online como no papel. David Alameda e Pablo Gutierrez dos gráficos interactivos mostraram os trabalhos que tinham em mão e falaram das suas experiências. É a primeira vez que reencontro o David, outra figura de referência que já ganhou várias prémios Malofiej. Pablo fiquei a conhecer, estava entretido em acabar um gráfico sobre as próximas comemorações dos 50 anos do lançamento do Sputnik.
Hora de almoçar. Código da rede wireless do hotel.
16h00, voltar ao trabalho. Agora é preciso começar a criar a infografia. Divididos pelos grupos de trabalho, repartimos as tarefas segundo o nosso storyboard.
Tínhamos alguns pormenores técnicos, já identificados no dia anterior, que foram resolvidos por José María Rodriguez López, freelancer, consultor e professor especialista em programação multimédia. Foi bonito ver o código, neste caso actionscript, a nascer à nossa frente e explicado daquela maneira.
Acabámos o dia com a possibilidade de ter mais 4 horas para acabar o trabalho, sempre são 4 homens/hora (4 x 4 = 16h) + a colaboração do code master. Simplificamos o storyboard por questões de tempo - queríamos concluir um infografia funcional, e por questões editoriais - cingir-mo-nos à informação específica de um grande prémio, mais concretamente àquele.

Soube que o próximo trabalho vai ser no Zoo de Madrid, onde iremos visitar os pandas gigantes oferecidos pela China aos reis de Espanha. Uau!

segunda-feira, 24 de Setembro de 2007

01 Madrid - iBuenos días Madrid!

Começou com uma apresentação do Director da área de informação do El Mundo, seguida de outra de Juan Ancho de Landázuri e de mais umas palavras do director do elmundo.es.
Estava feita a introdução ao curso. Pausa. Café. Cigarro.

As primeiras apresentações informais à volta do café. Não somos muitos, são tantos os professores e oradores como alunos: que somos 13.

Os alunos:
- José Antonio Bautista López, C. Enseñanzas Virtuales de la Univ. de Granada, Espanha
- Antonio Delluzio, Rcs Quotdiani S.P.A., Itália
- Alejandro Garcia Capado, Descartes Comunicación, Espanha
- Harjit Kaura, BBC, Reino Unido
- Salim Qurashi, BBC, Reino Unido
- Dimitris Nikas, PROTO THEMA online, Grécia
- Ernesto Olivares, Free Lance, Espanha
- Aránzazu Paz del Pozo, Televisión Española, Espanha
- Ramses Reijerman, AD Nieuwsmedia, Holanda
- Isaac Rodriguez Gómez, Ediciones Digitales HOY, Espanha
- Yanina Roncori, Diario La Nación, Argentina
- Liana Sujin Ha, UOL Universo online, Brasil
- Mário Cameira (eu), PÚBLICO, Portugal

Os professores e oradores:
- Ricardo Basurto, elmundo.es
- Alberto Cairo, Chapell Hill University
- Juancho Cruz, Unidad Editorial/El Mundo
- David Dominguez, elmundo.es
- Fran Gávez, Medialabs
- Xaquin González, Newsweek
- David Gray, X Plane
- Margarita Lázaro, elmundo.es
- Gérman Pizarro, Unidad Editorial/Marca
- Pablo Ramírez, Unidad Editorial/Expansión
- José Maria Rodríguez, Freelance
- Victor Sanvicente, Unida Editorial/Marca
- Mariano Zafra, Unida Editorial/El Mundo

Em seguida, o primeiro passeio pela redacção do El Mundo.
Não é fácil navegarmos pelas redacções, o jornal está num edifício, ou em vários, ligados entre si.
Começou pela Fábrica de Contenidos, uma sala onde se encontravam algumas pessoas, entre as quais 2 infográficos. Aqui preparam-se e executam-se projectos especiais como a Enciclopédia do El Mundo, que está cheia de infografia, muitas de vários colaboradores externos e onde se podia ver alguns trabalhos da AnyForms.
Nos vários andares iam surgindo redacções, gabinetes, espaços com gente a trabalhar como se faz num jornal grande. Destaco a sala de sistemas online, que inclui vários programadores e 4 webdesigners, alguns com um perfil mais técnico, e onde se desenham os portais – a macro estrutura. Outros webdesigners, 5 para ser exacto, partilham outro espaço com redactores do online e papel. São eles que constroem os temas especiais, em páginas estáticas (Photoshop, Dreamweaver). A automatização não serve para tudo.
Noutro andar, entre a Magazine e a Metrópolis, umas mesas centrais são ocupadas por 3 pessoas que compõem a área de ciências. É dado como um dos exemplos de como poderiam funcionar as redacções, papel e online, juntas. Ver Telescópio.
Às 12h30, já atrasados para o encontro com o próximo professor, chegamos à zona de infografia, onde não se encontrava ninguém. (É preciso explicar que é normal os infográficos saírem tarde do jornal). Existem 13 pessoas dedicadas ao papel e 4 ao online, e mais duas colaborações externas. Voltaremos a este local, afinal a visita foi conduzida por Juancho Cruz de Landázuri, o redactor chefe de infografia.
Alberto Cairo foi o professor seguinte.
Ver o trabalho que Cairo está a fazer nos EUA deixou-nos muito impressionados. Ensina infografia e jornalismo visual em Chapel Hill na Carolina do Norte. E faz viagens regulares com alunos a sítios como a Espanha, o deserto do Iucatão, a ilha de Robinson Crusoe, e transformam essas viagens em documentários com vídeo, som, fotos e infografia. Um modelo do que será parte da comunicação jornalística do futuro.
Cairo tem muito para dizer. Com tempo vou tentar expor aqui algumas das suas ideias.
Seguiu-se o Almoço em 3 mesas redondas, numa sala só para nós, num hotel ali mesmo ao lado.
De volta ao El Mundo, Gérman Pizarro, chefe de infografia do Marca (grande grupo de comunicação desportiva) faz um briefing do 1º trabalho prático que vamos realizar durante esta semana. O novo circuito de Fórmula 1 de Valência.
Recebemos documentação sobre o tema, ficheiros de Flash, um vídeo com uma simulação do circuito, perfis dos envolvidos, gráficos e imagens das obras que vão fazer para alterar a zona, com construções permanentes e outras temporárias, como acontece no Mónaco. Enfim, imensa informação. O objectivo era construir uma infografia animada e interactiva.
Primeiro é preciso ver o que há e ler. Perceber o que temos nas mãos. Depois, dividi-mo-nos em grupos, anteriormente estabelecidos, e foi cada grupo para uma sala com uma grande mesa no meio. O meu grupo inclui Salim Qurashi e Harjit Kaura, ambos da BBC, e Ramses Reijerman do holandês AD Nieuwsmedia. Os 4 concentrá-mo-nos em atirar ideias para o centro da mesa e fazer com que saísse dali um storyboard para uma infografia. E acabou assim o dia. Ver foto de storyboard.
Buenas noches y hasta mañana.

É verdade, há realmente vantagens em falar várias línguas.

domingo, 23 de Setembro de 2007

A caminho de Madrid

Pois. Começamos bem. Para a próxima telefono ou vou à net ver o estado do voo. 2 horas a passear pelo aeroporto de Lisboa.

De qualquer maneira, começo a mudar o chip. A ver se o meu cérebro não se distrai. Esta é uma semana dedicada à infografia.

Um exemplo.
Infografia é também a sinalética e a iconografia.



Aeroporto de Lisboa

sexta-feira, 21 de Setembro de 2007

Por onde andam as Voyager?

É simples, muito simples. Mas encanto-me a ver os planetas em translação.

Ver info Voyagers.

Mais uma, no sítio do costume.

Panteão Nacional, uma infografia online

Está aqui.

Infografia Online em Madrid

Estou a uns dias de viajar até Madrid. É uma viagem de uma semana para um workshop intensivo de infografia online no El Mundo. Vou estar com alguns dos melhores profissionais do mundo nesta área como Alberto Cairo (www.albertocairo.com), editor de infografia online do El Mundo durante vários anos, agora professor na Universidade de Chapel Hill na Carolina do Norte, EUA - gosto de o ver como um dos pais da infografia ultra-moderna, entenda-se online. E Xaquín Gonzáles Vieira, um dos artistas que trabalhou com Cairo e hoje é sub-editor de arte na Newsweek.
É um reencontro com estes senhores depois de Pamplona em 2004 no 1º Interact Don't Show, workshop inserido nos encontros Malofiej desse ano onde também apareceu Geoff McGee do New York Times Online. Ver Docs. Ver Malofiej.

Porque existe este blog

Existe para ler, ver, reflectir, apontar, duvidar e criar infografia. Online, em papel ou na rua sobre outros suportes.
Espero que o visitem e contribuam.